Tunga – prosa, ficção e erotismo

Luisa Duarte.

O curso tem como ponto de partida a exposição “Tunga – o rigor da distração” realizada no Museu de Arte do Rio, em 2018 (curada em dupla por Luisa Duarte e Evandro Salles). A mostra reuniu cerca de 200 obras, datadas entre 1973 e 2015, ou seja, um arco que contemplava toda sua trajetória, tendo como eixo central a sua produção em desenhos. Ao redor desse eixo, gravitavam textos (poemas e narrativas ficcionais), esculturas pontuais, fotografias, filmes, assim como uma forte presença do seu pensamento expresso na forma de entrevistas. O título, retirado de um dos seus cadernos de anotações, sinaliza uma forma de conceber o fazer artístico no qual uma rigorosa construção associa-se à livre ação do inconsciente. Assim, ao longo de três aulas iremos abordar três diferentes eixos presentes na exposição, quais sejam: o pensamento de Tunga expresso na forma de entrevistas; as narrativas ficcionais construídas pelo artista como parte importante de inúmeros trabalhos, e, por fim, as relações entre desenho e erotismo.

18 de março (aula 1)

A prosa de Tunga – o pensamento do artista na forma de entrevistas

19 de março (aula 2)

As narrativas ficcionais de Tunga

 

20 de março (aula 3)

Tunga – desenho e erotismo